02/08/2018 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



Foto: Átila Alberti/Tribuna do Parana

 

O PM que dirigia a viatura envolvida no acidente que matou quatro mulheres em um ponto de ônibus na Linha Verde, em Curitiba, na tarde de terça-feira (31), disse que o estouro do airbag fez com que ele perdesse o controle do carro.

O dispositivo de segurança teria sido acionado no momento em que o carro bateu no meio-fio, antes de atingir o ponto de ônibus e os dois veículos que estavam na rodovia, na pista sentido Fazenda Rio Grande.

A informação foi repassada pela Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) à Gazeta do Povo, onde o PM prestou depoimento nesta quarta-feira (1.°).

O outro PM que estava na carona ainda não foi ouvido.

O acidente, que tem duas pessoas da mesma família entre as vítimas, será investigado como crime de trânsito.

Conforme explicou o delegado Vinicius Augustus de Carvalho, titular da Dedetran, em depoimento, o PM informou que tentou desviar de um pedestre que cruzava a canaleta da Linha Verde e, na manobra, bateu a roda contra o meio-fio.

“Nesse momento o airbag acionou e ele teria perdido o controle do carro”, disse o delegado.

Segundo ele, o uso de substâncias lícitas e ilícitas foi descartado.

“Ele fez teste de dosagem alcoólica e de sangue e nada constava”, destacou Carvalho

Além dos dois policiais, outras três testemunhas também devem ser ouvidas. “Vamos coletar o máximo de informações para chegar ao mais próximo possível do que aconteceu.

As três testemunhas são pessoas que estavam no local e viram o acidente”, disse o delegado.

O depoimento do PM que estava na carona da viatura ainda não tem data definida.

O policial só deve ser ouvido após o depoimento das demais testemunhas, o que também inclui os familiares das quatro vítimas e os policiais rodoviários federais que atenderam a ocorrência.

Junto ao depoimento das testemunhas, a Dedetran também vai analisar as imagens das câmeras de segurança da região e analisar os laudos do Instituto de Criminalística.

Na manhã desta quarta-feira (1°), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou um vídeo que mostra o momento em que a viatura da Polícia Militar passa pela canaleta instantes antes do acidente que matou quatro pessoas no ponto de ônibus.

As imagens foram gravadas por uma câmera de segurança da própria PRF que fica a apenas alguns metros do local da batida e mostram o veículo oficial passando em alta velocidade no sentido Atuba da rodovia.

Na gravação, não é possível ver o giroflex da viatura ligado.

A dúvida sobre o fato de o giroflex e a sirene estarem ou não ligados veio à tona pela exigência do Código de Trânsito Brasileiro que só permite a circulação de carros oficiais em canaletas durante atendimento e com esses equipamentos de sinalização ligados.

Questionada sobre a ocorrência que os policiais estariam indo atender, a PM afirmou, em nota, que a “questão deve ser tratada durante os procedimentos investigatórios e durante a oitiva dos policiais militares”.

Em uma entrevista coletiva na tarde de terça-feira (31), o tenente-coronel Mário Henrique do Carmo, comandante do 20º Batalhão da PM, disse que o acidente foi uma fatalidade e destacou que a sinalização da viatura estava ligada.

“O que eu posso dizer é que a viatura estava com as luzes ligadas e sirene também. Segundo informações já levantadas por testemunhas, a viatura estava andando na velocidade compatível com a via”.

 

Gazeta do Povo

Marcos Rogério/Litoral Notícias