12/09/2018 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



Beto e Fernanda Richa foram transferidos na noite de terça-feira (11), do Complexo Médico Penal (CMP), onde foram levados ainda durante a tarde, após audiência de custódia, para o Regimento de Polícia Montada, a Cavalaria da Polícia Militar, no Bairro Tarumã, em Curitiba.

A transferência foi determinada no início da noite pelo desembargador Laertes Ferreira Gomes, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR). As defesas entraram com pedidos de habeas corpus, no entanto, a solicitação não foi apreciada pelo TJ.

O casal Richa foi preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná durante a Operação Rádio Patrulha, quer investiga um suposto esquema de corrupção e recebimento de propina na realização do Programa Patrulha Rural existente no governo Richa.

Além deles, outras dez pessoas foram presas, entre elas o irmão de Beto, José Richa, o Pepe, o ex-chefe de gabinete do mandato, Deonilson Roldo; Ezequias Moreira e alguns empresários.

Ainda na manhã de terça-feira, a casa de Beto Richa também foi alvo de cumprimento de mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça Federal dentro da 53ª Fase da Lava Jato, a Operação Piloto, que investiga um esquema criminoso envolvendo o recebimento de propina para direcionamento da licitação da duplicação da PR-323, no interior do Estado, para a Empreiteira Odebrecht e que teria rendido aos supostos envolvidos cerca de R$ 4 milhões.

Massa News
Marcos Rogério/Litoral Notícias