17/09/2018 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



O Sindicato dos Estivadores de Paranaguá e Pontal do Paraná completou, neste dia 13, 115 anos. O secretário do Sindicato, Everson Fernando Leite de Farias, destaca que a classe tem consciência de que todo dia é uma luta. “Estamos completando 115 anos de histórias, lutas e prosperidade. Costumamos dizer que o sindicato é feito de lutas e temos uma história muito bonita desde a fundação”, disse.

O presidente do Sindicato, João Antonio Lozano Baptista, enfatizou que é um momento de avanços. Desde o ano passado, a diretoria comemora os avanços de negociações, os diretores destacam que conseguiram passar uma barreira na questão patronal.

“Hoje temos uma confiança do outro lado, a sinceridade de ir para uma mesa de negociação, a transparência disso e trabalhando o tempo inteiro no coletivo. Tudo o que conseguimos é pensando em toda a categoria, pois atrás de cada sócio tem uma família inteira, e ele precisa ir para dentro do sindicato, ser bem tratado, ir a bordo das embarcações e trabalhar bem porque é dali que sai o sustento. Prestamos serviços de 24 horas, não tem dia, de segunda a segunda, das 7h às 12h, das 13 às 19h, das 19h a 1h e da 1h às 7h, e ficamos felizes porque o porto vem batendo recordes em cima de recordes e estamos podendo fazer parte deste fato”, reforçou.

Solar dos Guimarães

Os 115 anos são marcados, também, com a obra de restauração de uma importante edificação histórica de Paranaguá. O Solar dos Guimarães, obra neoclássica, foi construído na segunda metade do século XIX pelo Visconde de Nácar e serviu de residência para sua família. Além disso, o primeiro prefeito de Paranaguá, filho de Visconde de Nácar, João Guilherme Guimarães, morou na localidade.

O imóvel pertence ao Sindicato dos Estivadores de Paranaguá e Pontal do Paraná desde 1979, tendo sido tombado Patrimônio Histórico Estadual, por meio do Decreto nº 17/90, de 22 de dezembro de 1990.

A primeira etapa de revitalização do Solar dos Guimarães foi iniciada pelo teto. Porém, a segunda etapa será a restruturação de todo o edifício. O apoio do prefeito Marcelo Roque está sendo fundamental neste momento.

A obra de revitalização conta com recursos do Programa Estadual de Incentivo à Cultura do Estado (PROFICE), que capta verba de empresas que são devedoras do ICMS para o Governo do Estado. Na prática, ao invés do dinheiro ser aplicado nos cofres da Secretaria de Estado da Fazenda, pode-se beneficiar um projeto de cultura.

Blog: Luciane Chiarelli
Marcos Rogério/Litoral Notícias