16/01/2018 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



O fechamento do Colégio Estados Unidos já foi tema de apresentação feita pela Chefe do Núcleo quando esteve na Câmara de Vereadores.

Na ocasião ela explicou que a redução de alunos vinha sendo registrada ano após ano e que a Secretaria de Estado da Educação acompanhava estes números.

Há muitos anos, o colégio chegou a ter 1.600 alunos.

No ano passado eram 53 e neste ano, apenas 24, fizeram matrícula.

Além da redução de alunos, a professora Selma Camargo Meira, lembrou que a área onde se encontra o Colégio tornou-se insalúbre e perigosa para os estudantes.

Muitos caminhões e a transformação da região em área portuária contribuem para que o Colégio deixe de ser a primeira opção para muitos pais de alunos.

As empresas foram comprando aquela área e o número de alunos foi baixando gradativamente, ao mesmo tempo que acidentes também foram registrados.

Todas estas condições foram fazendo com que os pais optassem por outros colégios.

Para se ter uma ideia da redução de alunos, confira os números de matrículas de cada ano

2012- 378

2013- 261

2014- 239

2015- 160

2016- 103

2017- 53

2018- 24

O número muito baixo inviabiliza a continuidade dos estudos naquele local porque o diretor recebe dinheiro de fundo rotativo por aluno e os recursos não poderiam ser usados para manter uma escola daquele tamanho.

“Nem nós imaginamos que o número seria tão baixo.

Esperávamos que este ano a escola ainda continuaria aberta.

Os pais foram procurar lugares mais seguros para seus filhos”, confirmou a chefe do Núcleo, Selma Meira.

Quanto ao que será feito com o prédio, foi informado que o processo encontra-se na Fundepar para tomada de decisão.

Quanto aos alunos que fizeram matrícula neste ano, o Núcleo abriu vagas em outras escolas, ficando a critério da escolha dos pais.

Desde 2012, o Núcleo estuda áreas onde são necessárias construções de novas escolas estaduais e que são na Ilha dos Valadares, Jardim Iguaçu e no Vale do Sol.

A Chefe do Núcleo vem intermediando a doação de terrenos para o Estado para que novas estruturas possam ser construídas nestas regiões.

 

Fonte: Blog Luciane Chiarelli

Marcos Rogério/Litoral Noticias