04/01/2018 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



Com o aumento do período de chuvas, a conta de luz não terá cobrança de taxa extra em janeiro.

A bandeira verde foi confirmada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), depois de seis meses de taxas adicionais.

Nos meses de outubro e novembro, por conta dos baixos níveis dos reservatórios das hidrelétricas e da escassez de chuvas, o consumidor teve de arcar com a conta de luz na bandeira vermelha patamar 2, a mais cara do sistema com a cobrança adicional de R$ 5 para cada 100 quilowatts-hora consumidos.

Em dezembro, a bandeira havia caído para o patamar 1, com a taxa extra de R$ 3 a cada 100 quilowatts-hora.

No início de dezembro, a Aneel já havia sinalizado a possibilidade de cobrança da tarifa amarela em janeiro.

No entanto, segundo a agência, com a chegada do período de chuvas, houve um acréscimo no nível dos reservatórios, diminuindo a necessidade de acionamento das térmicas e possibilitando a adoção da bandeira verde.

“O acionamento dessa cor indica condições favoráveis de geração hidrelétrica no Sistema Interligado Nacional.

Mesmo com a bandeira verde é importante manter as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício de energia elétrica”, destacou a Aneel em nota.

Embora não haja previsão de cobrança extra para janeiro, o consumidor deve ficar atento à possíveis altas.

O sistema de bandeira tarifária foi criado para equilibrar os gastos extras por conta da utilização de usinas termelétricas, mais caras do que as hidrelétricas.

A cor da bandeira impressa na conta indica o custo em função das condições de geração de eletricidade.

Quando chove menos, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no País.

 

Fonte: Agora Litoral

Marcos Rogério/Litoral Noticias