14/07/2017 | litor6br | Sem Comentários



O corpo encontrado na manhã de quinta-feira, 13, enterrado em um barranco na região conhecida por Cidrão, na Ilha dos Valadares, em Paranaguá, ainda não tinha sido identificado até o encerramento desta edição, mas a polícia suspeita de que a vítima pode ser uma adolescente, usuária de drogas e que foi estrangulada.

Inicialmente se acreditava tratar-se de uma menina, mas, após a retirada do corpo da terra foi verificado que aparenta ser uma garota de aproximadamente 15 anos, mas ninguém na região soube passar informações que pudessem ajudar na identificação. A vítima estava trajando calça jeans, blusa escura e camiseta roxa, mas não havia nenhum documento com ela e, devido ao estágio de decomposição, não foi possível precisar a idade.

Exames preliminares da perícia constataram lesões no pescoço, levantando a suspeita de que a vítima pode ter sido estrangulada. Ainda foi constatado que o corpo tem várias tatuagens, sendo uma delas uma tribal em forma de flor na panturrilha e cogita-se a possibilidade de que seria usuária de drogas, pois no bolso da calça foi encontrado um cachimbo para consumo de crack.

 

ACHADO

O achado foi feito por uma mulher, ao qual foi ao local pescar e avistou partes do corpo, quando um cachorro começou a cavar a terra. Imediatamente a Polícia Militar foi acionada e ao chegar e verificou que a vítima estava em uma cova rasa, nas margens do Rio Itiberê, e foi feito o isolamento da área para o trabalho da Polícia Científica, sendo em seguida o corpo recolhido pelo IML.

 


No local do achado, ninguém soube passar informações que pudessem ajudar na identificação

 

O caso está sob investigação da 1.ª Subdivisão Policial de Paranaguá, que também esteve no local colhendo informações e deverá intensificar as diligências assim que o corpo for identificado.

 

Fonte: Folha do Litoral News