12/03/2020 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



Semanalmente a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulga o Boletim Epidemiológico apresentando o número de casos de dengue no Paraná, entre outras informações sobre a doença e a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. O boletim da dengue divulgado nesta terça-feira, 10, confirma 52.652 casos da doença no Paraná, são 8.211 a mais que o informe anterior, que totalizou 44.441 registros. O número de óbitos confirmados também aumentou, passando de 30 para 37, no Estado.

Em Paranaguá, são 24 casos confirmados da doença. A Secretaria Municipal de Saúde continua com um serviço de campo, com a atuação de agentes de endemias, parcerias com as demais secretarias municipais, remoção de criadouros, utilização de bomba costal, trabalho de bloqueio, entre outras ações.

“O trabalho acontece o ano inteiro, mas necessitamos do apoio da população nessa luta. Precisamos que os moradores fiquem em alerta em suas residências, cuidando de seus quintais, não descartando entulho e lixo em terrenos baldios e irregularmente nas ruas. Também é fundamental permitir a entrada dos agentes de endemias para que eles possam orientar os moradores e, se preciso, remover criadouros”, enfatiza a secretária municipal de Saúde, Lígia Regina de Campos Cordeiro.

O descarte irregular de lixo/entulho é uma prática que tem causado dificuldade no combate ao mosquito. “Temos realizado o trabalho em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e com a Secretaria Regional da Ilha dos Valadares. As equipes têm feito a retirada de entulhos descartados por alguns moradores, mas não é uma tarefa fácil. Infelizmente, em muitos casos, o lixo é retirado e poucos dias depois, o descarte de mais entulho é feito no mesmo local. Sabemos que é uma minoria que faz tal ato inconsequente, mas precisamos da conscientização de todos que jogar lixo dessa forma, faz mal para a saúde da própria população”, salienta a secretária.

Denúncias sobre descarte de lixo/entulho podem ser feitas para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente pelo telefone 3420-6058. Em casos de possíveis criadouros para o Aedes Aegypti, os moradores podem entrar em contato com a Ouvidoria da Saúde pelo telefone 3420-2806.

“A informação diretamente para a Secretaria de Saúde é importante. Muitas pessoas acabam comentando algum fato de possível criadouro do mosquito nas redes sociais, mas não nos procuram para fazer a denúncia ou nos passar informações como endereço, situação do local, entre outros detalhes que são fundamentais”, observa a secretária.

 

SECOM

Marcos Rogério/Litoral Notícias