13/09/2016 | litor6br | Sem Comentários



A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) publicou uma Nota Técnica conjunta com a Sociedade Brasileira de Infectologia e a Sociedade Brasileira de Pediatria indicando a aplicação da vacina contra a dengue para população que vive em regiões de risco para a doença. O informe, divulgado na página da SBIm na internet (sbim.org.br), faz uma análise da situação da dengue no mundo e comemora a possibilidade de prevenir a doença por meio de uma vacina.

“Há muito se deseja uma vacina segura e eficaz contra a doença e, embora várias estejam em diferentes fases de desenvolvimento, só há uma vacina licenciada em todo mundo, a do laboratório Sanofi Pasteur, aprovada pela Anvisa no fim de 2015 e agora disponível em serviços de imunização do Brasil”, relata o documento oficial assinado pelas três sociedades científicas, que complementa:

“A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomendam, em nível individual, em seus calendários, o uso rotineiro da vacina contra a dengue para pessoas de 9 a 45 anos que vivem em região de risco para a doença, no esquema habitual de três doses (0, 6 e 12 meses)”.

MUNICÍPIOS EPIDÊMICOS – Para a superintendente de Vigilância em Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde, Cleide de Oliveira, a nota técnica publicada pelas três sociedades avaliza a decisão do Paraná em oferecer a vacina contra a dengue à população residente em municípios epidêmicos.

“Com o parecer das sociedades científicas sobre a importância da vacina da dengue, a iniciativa do Paraná em realizar a primeira campanha pública para prevenir a doença é reconhecida”, diz a superintendente.

CAMPANHA – A campanha de vacinação contra a dengue segue até o dia 24 de setembro em 30 municípios paranaenses. O Governo do Estado adquiriu 500 mil doses e pretende imunizar 80% do público alvo. Em Paranaguá (Litoral) e Assai (região norte) a vacina está disponível para pessoas entre 9 e 44 anos. Nos demais 28 municípios selecionados, a faixa etária a ser vacinada é de 15 a 27 anos.

As grandes cidades são as que ainda apresentam baixas coberturas vacinais, como Londrina, que deve atingir 121 mil pessoas e até esta segunda feira (12) vacinou cerca de 21% do público alvo. Cambé (25% vacinados) Maringá (24,6%), Sarandi (25%) e Foz do Iguaçu (21,2%) também precisam ampliar a vacinação para alcançar a meta da campanha. Munhoz de Mello foi a primeira cidade a atingir a meta, com 85% do público alvo vacinado. São Jorge do Ivaí já atinge 78% de cobertura e Boa Vista da Aparecida 79%.

LITORAL – Em Paranaguá, a sociedade civil organizada está colaborando com a campanha e tem estimulado a população a se vacinar. Até esta segunda-feira (12), cerca de 37 mil pessoas já haviam sido imunizadas, 41% da meta. “Além de vacinar em unidades de saúde, o município conta com equipes volantes que vão em busca da população entre 9 e 44 anos”, conta o coordenador estadual de imunizações, João Luiz Crivellaro.

O coordenador destaca que a vacina é segura e eficaz e para garantir a imunidade são necessárias três doses com intervalo de seis meses entre elas. “Somente quem recebeu a primeira dose nesta primeira etapa receberá a segunda em fevereiro e a terceira em agosto de 2017”, reforça.

Os municípios selecionados para receber a vacina são: Paranaguá, Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Boa Vista da Aparecida, Tapira, Santa Isabel do Ivaí, Cruzeiro do Sul, Santa Fé, Munhoz de Melo, Marialva, Paiçandu, São Jorge do Ivaí, Maringá, Mandaguari, Sarandi, Iguaraçu, Ibiporã, Jataizinho, Porecatu, Bela Vista do Paraíso, Assaí, Cambé, Londrina, Sertanópolis, Leópolis, São Sebastião da Amoreira, Itambaracá, Cambará e Maripá.

VIA AEN