03/05/2017 | litor6br | Sem Comentários



A Universidade Estadual do Paraná (Unespar) Campus Paranaguá pode contar, em breve, com um novo curso: Engenharia da Produção. Conforme o diretor de Centro de Área de Ciências Sociais Aplicadas, professor Sebastião Cavalcanti Neto, a abertura do novo curso foi aprovada em Paranaguá, contudo, ainda há outras instâncias para ser aprovado pela Unespar. “No Campus Paranaguá já foram três aprovações. A aprovação aconteceu através do Conselho do Campus Paranaguá, que é a instância máxima da Unespar no município”, informou. “Agora ele passará pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão e o Conselho Universitário”, informou.

A intenção é que o curso já inicie em 2018, caso aprovado em todas as instâncias. “Nossa meta é que consigamos para 2018, mas dependemos também da publicação através do Governo do Estado”, observou. Para a abertura desse curso, não há necessidade de aguardar a ampliação do campus. “Mesmo antes da ampliação do campus é possível abrigar o curso de Engenharia da Produção por ser integral, ou seja, as aulas ocorrem durante o dia. À noite não temos espaço, mas no período diurno temos espaço ocioso já que hoje apenas Ciências Biológicas e Pedagogia têm atividades durante o dia”, comentou.

O objetivo era, a princípio, abrir mais turmas de Administração que, segundo o professor, é um curso bastante procurado na cidade. Contudo, muitos acadêmicos que ingressam no curso no período diurno pedem transferência posteriormente para as turmas noturnas e não há espaço para abrigá-los, por isso, a ideia não foi para a frente, sendo iniciado o projeto para o novo curso apenas em período integral. “Estamos trabalhando no projeto do curso de Engenharia da Produção há aproximadamente 12 meses. É uma grande oportunidade já que contamos com várias indústrias no litoral e outras estão chegando. Há campo para essa área. Com o curso na Unespar Paranaguá, quem reside no litoral não precisará ir para outras cidades para fazer esse Ensino Superior. Além disso, as empresas não precisarão procurar mão de obra especializada na área em outras cidades, contratando quem é formado e reside no litoral”, destacou.

 

Fonte: Folha do Litoral News