09/02/2017 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



A reforma da Estação Ferroviária de Paranaguá está prestes a sair do papel e o assunto é comemorado pela população que aguarda, com ansiedade, pelo início das obras. Segundo a Prefeitura Municipal, no dia 22 deste mês acontecerá um evento para a assinatura da ordem de serviço, que é o passo final antes dos trabalhos práticos na Estação Ferroviária. De acordo com a Caixa Econômica Federal, banco onde está depositado o dinheiro para a reforma do prédio histórico, o valor a ser investido na obra é de R$ 1,7 milhões.

As intervenções feitas no local deverão fazer com que o prédio seja todo reformado, uma vez que até mesmo as paredes estão comprometidas em razão da ação do tempo. No caso do telhado, hoje inexistente, ele veio abaixo após fortes chuvas em verões anteriores. Já as portas e as janelas ficaram estragadas em virtude de não ter existido a manutenção devida pelas administrações passadas.

 


Em seu interior, o cenário é de destruição

 

No entanto, a promessa é que em 240 dias após o início dos trabalhos no local as coisas fiquem bem diferentes do cenário atual, que é classificado como desolador por parte dos munícipes. Um deles, Benedito Antônio, que é mestre de obras, confessou que por diversas vezes já se deparou com a imagem da Estação e custou a acreditar que ela chegou ao completo estado de abandono. “Não é fácil para quem já viveu o auge deste lugar ver como ela foi deixada. Infelizmente, o passado de glória de Paranaguá foi renegado por seus administradores, pois a Estação Ferroviária representou o que um dia foi uma cidade pujante em termos de economia”, disse o senhor que revelou ainda ter boas lembranças do passado na Estação.

Para quem vê quase todos os dias as ruínas do prédio histórico da janela do trabalho, a notícia de que o mês de fevereiro de 2017 poderá representar uma nova realidade para a Estação Ferroviária é uma alegria grande, porém contida. “Estamos esperando por isso há tempos, tomara que dessa vez aconteça”, disse a funcionária de uma empresa marítima, localizada no Palácio do Café, Camila Azevedo.

 


Paredes comprometidas e falta de telhado dão a entender que tudo precisará ser refeito

 

Após tomarem conhecimento da novidade que está por vir, tanto Camila quanto Benedito expressaram uma preocupação sobre o futuro do espaço. “Torço para que haja lojas ou algum entretenimento que ocupe a Estação, pois caso contrário ela, mesmo reformada, poderá seguir sendo um local de interesse de desocupados e usuários de drogas”, disseram.