27/11/2017 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



Quem descer para as praias a partir desta segunda-feira (27) vai se deparar com uma mensagem preocupante em relação à segurança pública.

A Associação dos Delegados de Polícia do Paraná (Adepol-PR) lançou uma campanha publicitária cobrando do Governo do Estado a nomeação de 150 delegados.

A partir de segunda, as cinco principais regiões de Curitiba e mais três cidades do litoral exibirão outdoors com a pergunta “Governador, cadê o delegado?”.

Atualmente, 270 cidades do Paraná estão sem delegados.

Não é o caso de nenhuma das sete cidades do Litoral, conforme mostra o mapa divulgado pela Adepol.

A mensagem – que, na intenção dos delegados, visa melhorar a segurança – reforça o clima e a imagem de insegurança na região.

Os recentes homicídos e supostas disputas entre traficantes que se viu em Guaratuba e, principalmente, em Matinhos, com 8 mortos em menos de uma semana, repetem o que vem acontecendo todos os anos nas vésperas do verão: a reacomodação dentro do tráfico e do mundo do crime em geral para se preparar para o faturamento na temporada.

Além da maior intensidade e violência que se viu neste mês de novembro, o clima de medo ganhou o combustível das redes sociais.

Cada crime ganha repercussão imediata e ampliada. Na prisão de cinco homens armados com pistolas, teve quem viu fuzis, tiroteios, lista de pessoas marcadas para morrer e até um morto inexistente.

Neste sábado (25), um suposto toque de recolher imputado a traficantes no bairro matinhense do Tabuleiro acabou sendo implantado na prática por causa dos alertas dramáticos espalhados nas redes sociais.

De positivo, a mensagem dos delegados deverá reforçar a necessidade de intensificar o policiamento antes do início oficial da Operação Verão, no dia 21 de dezembro.

Isto já vem acontecendo parcialmente com a antecipação de ações integradas de segurança e fiscalização e operação da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móveis).

De preocupante é que o alerta da falta de delegados, inclusive nas delegacias especializadas, poderá refletir no reforço esperado da Operação Verão, quando centenas de policias civis e militares são deslocados para o Litoral.

“Sem os delegados, os crimes não são elucidados, gerando assim impunidade que resulta em aumento dos índices de criminalidade.

A sociedade paranaense não suporta mais promessas vazias do governador que baseia sua atuação em propagandas muito bem pagas com dinheiro público.

No dia a dia as pessoas continuam vítimas da violência e do descaso com a segurança. Nossa campanha é um apelo para que a população saiba o que está acontecendo e nos ajude a cobrar providências imediatas”. João Ricardo Képes Noronha, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Paraná.

 

Fonte: Correio do Litoral