24/11/2017 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



A Secretaria Municipal de Educação e Ensino Integral (Semedi) iniciou nesta quinta-feira (23) o projeto “Saúde do Professor”.

Por meio de um levantamento de dados serão avaliadas as principais doenças que atingem a categoria e assim buscar ações para incentivar o tratamento, de forma coletiva.

O objetivo é combater o estresse, o sedentarismo e promover hábitos alimentares saudáveis, para que os profissionais tenham mais qualidade de vida.

Um grupo de 46 professores da Escola Municipal Eva Cavani foi o primeiro a participar do levantamento nesta quinta-feira (23).

O trabalho será realizado em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde e Prevenção (Semsap) e o Instituto Menna Barreto.

Como foi a primeira pesquisa, estava sendo em caráter experimental, mas a previsão é que até dezembro o levantamento beneficie professores da Escola Francisca Pessoa Mendes e, a partir de 2018, o restante das unidades educacionais da rede municipal.

Os técnicos fizeram um questionário aos professores, para obter informações como pressão arterial, glicemia, IMC (Índice de Massa Corporal), idade, circunferência abdominal, hábitos como tabagismo, ingestão de álcool e outras drogas, sono, doenças e condições psicológicas e psiquiátricas.

Num levantamento com dados de abril deste ano a Semedi apurou que, dos 1.273 professores que atuam na rede municipal de ensino, 40 servidores estavam afastados de suas funções por problemas de saúde e 51 com algumas restrições funcionais.

“Deste total, 54% eram por questões físicas, 74% por questões emocionais ou psicológicas, 34% por câncer e 4% por problemas com álcool e drogas.

São números que nos preocupam e por isso resolvemos traçar estratégias para mudar esse quadro, seguindo também determinação do prefeito Marcelo Roque”, destacou a secretária municipal de Educação, Vandecy Dutra.

As ações realizadas pelo projeto “Saúde do Professor” envolverão profissionais de diversas áreas, de acordo com Micaela Góis Boechat Boaventura, profissional de saúde coletiva.

“Teremos psicólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional, professor de Educação Física, com ações que envolverão hidroginástica e até Yoga.

Lembrando que serão sempre ações coletivas, com grupos terapêuticos e de apoio.

Só os casos pontuais serão tratados individualmente”, explicou a profissional.

Outro trabalho que já se tornou realidade são as caminhadas com grupos de professores pelo Aeroparque, duas vezes por semana, sempre às terças e quintas, a partir das 18h30.

 

Fonte: SECOM