30/09/2019 | Litoral Sul FM | Sem Comentários



A Secretaria Municipal de Saúde iniciou a apresentação do relatório detalhado do 2.º quadrimestre de 2019. O balanço das ações da pasta foi feito primeiramente aos membros do Conselho Municipal de Saúde, nesta semana. Na próxima segunda-feira (30) o documento será levado ao conhecimento de toda a população, em audiência pública, a partir das 8h30, na sede da pasta, na rua João Eugênio, 959, no Centro de Paranaguá. Os números são positivos e mostram as ações que vêm sendo realizadas em prol da população de Paranaguá na administração do prefeito Marcelo Roque.

A apresentação atende legislação federal. Trata-se da Lei Complementar Federal 141/2012 que regulamentou a Emenda Constitucional 29, em seu capítulo IV, que trata da transferência, visibilidade, fiscalização, avaliação e controle. O gestor do SUS em cada ente da federação deverá elaborar relatório detalhado do quadrimestre anterior informando montante e fonte de recursos aplicados no período, auditorias realizadas ou em fase de execução, oferta e produção de serviços públicos na rede assistencial própria, dentre outros serviços.

Para uma plateia de conselheiros e profissionais do setor a secretária municipal de Saúde, Lígia Regina de Campos Cordeiro, mostrou que o orçamento previsto para a pasta em 2019 é de R$ 73.676.099,67, abrangendo a atenção básica, investimentos em saúde, assistência farmacêutica, Vigilância Sanitária, Vigilância em Saúde, Atenção de Média e Alta Complexidade, Conselho Municipal de Saúde, gabinete, gestão do SUS e indenização e restituição. “Temos números muito positivos para mostrar. Sabemos que há muito a fazer ainda, mas temos que comemorar os diversos avanços que estamos tendo. A Saúde de Paranaguá está dando um salto enorme de qualidade”, avaliou a secretária Lígia.

O relatório aponta ainda as metas cumpridas total ou parcialmente nas diretrizes apontadas. Entre elas destaque para a ampliação da cobertura do Estratégia Saúde da Família (ESF), que atualmente tem 33 equipes. “Nossa meta é ampliar para 40 equipes. Já avançamos bastante, porque quando o prefeito Marcelo Roque assumiu, em 2017, só tínhamos 8. Atualmente, mais de 85% da nossa população é coberta pelo ESF, o que representa um ganho enorme”, salientou a secretária.

Foram realizados no segundo quadrimestre um total de 76.186 consultas por médicos do ESF e mais 152.640 procedimentos, além das 52.429 visitas domiciliares. O horário estendido em sete unidades básicas, que possibilitou atendimento à população até 23h, obteve um total de 17.575 consultas médicas e 25.389 procedimentos de enfermagem. Já a equipe itinerante do ESF, que atende as comunidades marítimas e ilhas de Amparo, Teixeira, Eufrasina, São Miguel, Europinha, Ponta de Ubá e Piaçaguera, realizou um total de 864 consultas médicas, 3.564 procedimentos de enfermagem e 2.073 visitas domiciliares de agentes comunitários de saúde.

Entre os avanços apontados no relatório estão ainda a inauguração de três novas unidades básicas de saúde, entregues em julho, beneficiando assim moradores dos bairros Porto Seguro, Ilha dos Valadares e região central (Leblon). O levantamento detalha ainda a realização de 163.840 análises clínicas em laboratórios próprios e mais 26.030 em outros credenciados, com um total de 189.870.

Na área de Odontologia foram realizados um total de 26.367 procedimentos nos quatro meses, para um total de 10.078 pacientes. Ações coletivas de exame bucal, com finalidade epidemiológica, aplicação de flúor, atividade educativa e orientação em grupo, além de bochecho e escovação dental supervisionada somaram 69.160 procedimentos, incluindo os individuais e os coletivos. As ações ocorrem em Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e escolas da cidade, além das próprias unidades básicas.

O relatório ainda inclui ações voltadas à saúde da mulher, com realização de 1.800 exames preventivos, 630 mamografias e mais 259 ecografias liberadas, 1.182 procedimentos de ginecologia, dentre outros serviços.

As viagens para transporte de pacientes para Tratamento Fora do Domicílio (TFD) ganharam reforço com a aquisição de 2 micro-ônibus. De maio a agosto foram realizadas 810 viagens para Curitiba e região, com um total de 10.553 pacientes beneficiados. Transportes de pacientes em maca ou cadeirantes totalizaram 307. Foram ainda transportadas 203 pessoas que tiveram alta médica em Curitiba e precisavam retornar a Paranaguá. Houve ainda um total de 2.345 atendimentos de pacientes em Paranaguá, mais 2.236 em plantões no período noturno e mais 1.852 de pacientes que realizam hemodiálise.

Há ainda detalhes e números de ações realizadas pelo CAPS, na área de assistência farmacêutica, em Vigilância Sanitária, do Departamento de Vigilância em Saúde (envolvendo vários serviços como Setor de Alimentos e Controle de Zoonoses), Vigilância Ambiental, Dengue, Vigilância Epidemiológica, cobertura vacinal, Departamento DST/HIV/Aids, Tuberculose e Hanseníase, além da Atenção de Alta e Média Complexidade. Tais temas serão tratados em outra matéria jornalística, que está sendo produzida e deve ser publicada em breve.

 

SECOM

Marcos Rogério/Litoral Notícias